22/12/2010

It's did!

    Tenho visto uma coisa muito engraçada nas pessoas ultimamente: Elas vivem se justificando com palavras umas às outras.

    Por exemplo, toda vez que eu venho escreve aqui, venho expor minha opnião e a justificativa para tal.
Se você não vai ao trabalho, você precisa pagar um médico para te justificar. Se você chegar tarde em casa, você precisa se justificar para a sua esposa, ou esposo. Se você tira nota baixa na escola tem que se justificar por isso. Até se você não votar, você precisa se justificar.

    De forma geral, a justificativa é um argumento explicativo sobre determinada atitude tomada - ou que irá tomar - que não correspondeu com o "combinado" ou o previsto. É o porquê, o fundamento de tal atitude. Geralmente, esse argumento é dado a alguém que exerce autoridade ou que merece "respeito".

   Toda conversa de alguma forma é uma justificativa, praticamente uma batalha eristica, onde as pessoas estão se justificando e assim trazendo a razão para o seu lado. Essa atitude, de fato, acompanha o serumano desde os tempos mais primórdios, desde que existe diálogo existe a justificativa. Tanto que a característica intrínseca da justificativa é que só  é possível se justificar quando se tem um diálogo, algum contato, quando há a troca de informações.

   A justificativa entre o serumano de alguma forma é boa, pois é o meio por onde transmitem os conselhos e experiências aos semelhantes. Mas por outro lado é mal, pois, não aceitando os conselhos e experiências, o indivíduo fecha os olhos para a verdade e a realidade, criando uma "falsa razão" uma falsa justificativa; onde as bases são as verdades do próprio ego. O mal, então, é que a overdose de justificativa transforma o serumano em um  falso deus onde só existe aquilo que ele criou no seu interior.

E tenho visto que isso também é vaidade e correr atrás do vento.


Achei um post perdido. Vai Antes de virar o ano.


"HappyXmas"

If God doesn't care about us, who will care?


God Bless Us!


Rafael Amaral

A vida merece ser vivida.

Para na vida crescer,
viva como se nada pudesse ter...
De modo que tudo que você conquiste
querendo alguém levar, não entre na luta com armas em riste.

Brigarás à toa, pior ainda se for por pessoa.
O quê de mais sagrado que aprendi nessa escola
é que não serás nunca dono de nada senão de sua própria alma.

Se alguém quiser dar uns passos ao lado do seu
entenda, esse alguém nunca será teu.
Se embora quiser ir, deixe que vá
Siga seu caminho como o combinado, deixe essas inconstâncias para o lado de lá.

A vida merece ser vivida por ter um quê de espetáculo e um quê de anonimato.

Talvez essa ultima linha não faça sentido, ou esteja com o sentido cortado.

Mas para mim, se completa como dois e dois são quatro.


Rafael Amaral - No ultimo post do ano.


Happy Xmasssss =**

18/11/2010

Make sense.

    De forma geral, todo aquele que diz e pensa "eu sou..." carrega em si, no recôndito da sua alma, duvidas pungentes referentes ao que se é, ao que se foi quando não era e ao que será depois do que é. 

    Se a pessoa não pensa nisso ou nunca pensou, opino eu, é porque está cheia das coisas externas e está embevecida por elas, pois, nunca olhou para dentro de si. Portanto, não conhece a sua fragilidade e impotência completa diante da vida. E se pensa nisso ou já pensou, opino eu, é porque as coisas externas deixaram de fazer sentido em algum momento. Percebeu que as coisas externas são suscetíveis ao tempo: e o tempo enterra todas as coisas; e são sempre  manipuladas para o bem de outrem. Então, olha para dentro de si para achar uma resposta,  deveras confortante, à sua indignação. Após esse olhar reflexivo, confronta os mitos estabelecidos em sua vida, descobre-se, conhece-se e dai vem as dúvidas.

   Esse é um relato da minha história. Trajetória do sono à vida. Da morte à luz. Do mundo à Cristo.

   Ao conhecer-me pude entender o mundo em que vivo, sigo adiante com entusiasmo e cautela, vivo com emoção e decido com razão. Hoje dou valor ao amor de uma criança, pois veio à mim pelo temor ao Cristo. 

  Agradeço-TE, Cristo Jesus, por quem és e pelo que fizeste por mim.

Glórias Sejam dadas ao Senhor.

04/10/2010

The Begins

Começa com o pai procurando abrigo, numa noite fria e cinzenta em Belém. Por não achar um lugar melhor nasce o menino, chamado Jesus, em uma estrebaria. O pai estava feliz, afinal, ocorreu tudo bem no parto que ele fez, mas, agora, esperava por orientações do Senhor de toda terra como proceder com seu filho. Pois, tivera visões e sonhos, alguns meses atraz, que um anjo lhe dizia: Seu filho foi concebido pelo Espírito Santo e salvará o seu povo dos seus pecados;

Alguns momentos e dias após o nascimento, chegam uns homens parecido estudiosos ou até mesmo magos à casa de José, o pai, guiados, dizendo eles, por uma estrela até o local que o menino estava. Adoraram e deram-lhe presentes preciosos, ouro incenso e mirra. Entre uma conversa e outra, contaram aos pais que o Rei de Jerusalém, Herores, estava enciumado pois o menino tinha título de Rei do Judeus e talvez o rei por pensar que o trono estava com dias contados fosse matar o menino. Enfim, foram dormir. Nessa noite tiveram um sonho dado por Deus, os homens se despediram dos pais e do menino e voltaram pra casa por outro caminho, como Deus lhes mandou.

Continua...

29/09/2010

Sem palavras.

Estou sem palavras...
Não sei nem por onde começar a me expressar.


       Nesses últimos meses tenho me dedicado a leitura de livros de filosofia. Comecei lendo biografias de filósofos, me aprofundando na vida e, sobre tudo, no modo de pensar deles. Comecei por um que é o maior de todos os homens, ele o carpinteiro de nazaré, seu nome é Jesus.


       Lendo sobre a vida de Cristo e o modo de pensar dele percebi que eu não o conhecia. De fato, fui apresentado a poucos dias. E o melhor, foi realmente um prazer.
       Há muitas lições de vida que o Carpinteiro de Nazaré nos dá, basta dedicar-mos em um estudo aprofundado sobre seus poucos anos de vida na terra, para tornar-mos mais humanos, solidários e amorosos.
        As pessoas tem muito que aprender com a essência das ações dele. Até mesmo aquelas que dizem segui-lo  precisam parar e dedicar algum tempo de estudo aprofundado sobre suas atitudes.


       Iniciei esse pequeno texto dizendo que estou sem palavras, realmente estou, pois acabei de ver um filme chamado Última parada - 174. O filme relata a história do seqüestrador do ônibus da linha 174, que aconteceu há alguns anos no Rio de Janeiro, seu nome era Alexandre. 
       O filme, como todo bom filme Brasileiro, é repleto de xingamentos e mostra perfeitamente como é o submundo da prostituição, do trafico e da bandidagem. Porém há algumas fragrâncias que ele me exalou e me deixou sem palavras. 
       Toda pessoa, por mais anônima que seja, tem uma história de vida surpreendente; muitos querem fazer um filme, não sabem que a vida é de fato uma grande produção cinematográfica. E a outra fragrância é que Deus ama mesmo o ser humano, por pior que ele seja, sempre dá uma chance de fazer a volta por cima e conhecer do seu amor.


       A história do seqüestrador, o Alexandre do filme, é uma loucura. O pai abandonou a mãe quando soube que ela estava grávida. Mais tarde, quando ele ainda era uma criança, assistiu o assassinato da mãe. Após esse ocorrido foi morar na rua da candelária, onde presenciou e sobreviveu a chacina da candelária - perdendo ali muitos dos seus amigos. Entretanto, nessa história drástica e dramática, ele tinha amigos ligados à Igreja e a Jesus Cristo, como sua mãe adotiva que era uma Cristã e a Igreja da Candelária onde ele se alimentava todos os dias. Porém, as circunstâncias de revolta foram maior. Ele escolheu as drogas à Cristo. Escolheu destruição à salvação. Cristo estava ali de mãos estendidas, ele não percebeu.
      O filme em si é surpreendente, relatou que o Alexandre amou alguém, riu, brincou, brigou, chorou, se drogou. Mostra que ele foi ser humano incompreendido, sem muitas alternativas, sensível à vida das pessoas, mostra que tinha sentimento e pensava como qualquer um. 


      A parte final foi surpreendente. A multidão revoltada; Ok, ele sequestrou um ônibus e merecia a punição por tal ato, porém ao ver a história da vida dele, nós entendemos o porque de tudo aquilo ter acontecido e fazendo uma recapitulação da sua vida, faz sentido quando uma passageira do onibus disse à ele:  "A maior vitima aqui é você". Todas as alternativas de sua vida conspiravam para a desgraça dele, O único sentimento que ele recebeu foi a rejeição, ódio, preconceito, indiferença por parte de todos. O que poderíamos esperar de uma pessoa dessa? Ele não sabia que alguém o Amou! Que o criador o AMOU!!!! Ele não sabia que o sistema queria mesmo que ele sofresse, que ele morresse - assim como fizeram. 


       Foi triste ver que eu fui uma dessas pessoas que não o compreenderam, que o julgou "monstro", merecedor de morte e linchamento público. Cristo tem mesmo razão, Ele compreendeu o cobrador de impostos, a meretriz, o seu traidor, o seu amigo que o negou, aquela mãe que chorava ao levar seu filho na tumba, o doente paralítico, o homem gadareno endemoninhado. Ele compreendeu o ser humano como ele é, e por isso decidiu dar a todos a sua felicidade, que não vem das circunstâncias desse mundo, pois ele sabe como o mundo é cruel e suas intempéries levam o ser humano à maldade geral. Por isso depois de ir, ele deixou um de mesma semelhança está conosco para nos educar e dar amor! Deixou-nos o seu Espírito, que é santo. Para nos guiar, nos mover e nos ver a vida como Ele viu.


Vamos amar mais do que julgar, vamos cultivar o sentimento de empatia, vamos entender que o mundo é cruel e por isso os homens devem ser amor, assim como seu criador é.
O mundo não precisa mudar, os homens sim.




Rafael Amaral
30/09   


      
     

24/08/2010

Ah.. o Amor

Ah.. o amor!

No Frio na barriga, na palma da mão gelada
e na voz mansa ele está.

Verso no caderno, sorriso sincero
e no pensamento avoado é fácil encontrar.

No desejo da alma, na essência da vida,
e nos sonhos ele vai sempre habitar.

As Mães, os Avós 
e os namorados vai acompanhar.

Ah.. o amor!

Por ti, lutaria até brigaria, 
porém, pelo amor, não há causa no mundo que eu mataria.

Por ti, perdoaria até choraria,
e por várias vezes, essas coisas eu repetiria.

Por ti, muitas vezes abraço e beijo,
pois são nesses momentos que te vejo.

Por ti vivo e eternamente viverei,
pois você me completa, 

É você que eu desejo.


Rafael 24/08 23:36


À você que chamo de flor, princesa e Amor da minha vida.

25/07/2010

Saudade



É da saudade que estou falando.

Mais parece o sol que arde em chamas, querendo explodir, expandir, se libertar dessa angústia, desse desejo ansioso; mas que se contém por conter.

Mais parece alguém amarrado, com ânsia de se soltar das amarras apertadas que machucam, que limitam seus gestos, movimentos, expressões; que limitam a vida.

Mais parece um caminho sem fim ou uma viagem sem destino que se percorre a pé, que cansa e descansa, cansa e descansa mas não sai do lugar e se pergunta se esta chegando.

Mais parece aquele aperto no fundo do peito, desejo de apertar ou não apertar, de abraçar e não abraçar, de beija e não beijar, desejo de fazer tudo e não fazer nada. Desejo sincero de apenas ter ao alcance da vista, de ter ao lado.

É ela que te faz rolar pra lá e pra cá, não te deixa dormir, te faz refletir, pensar e criar. É ela que te faz perder a fome, que fez passar rápido o ontem, e que te faz ver o amanha ligeiro raiar. É ela que te faz delirar quando se é racional, e te faz pé no chão quando inconsequente. A paixão não aguenta com ela, no entanto, ela é termômetro do amor.

É da saudade que estou falando.

À autora da minha saudade. Tenho muito carinho e amor sincero a lhe dar.
por Rafael Amaral 25-07 In Salvador

23/07/2010

Praia do Forte - BA


Salvador da Bahia

Basta um sorriso baiano pra gente entender


O por quê do Brasil ter nascido primeiro aqui

Nesse lugar...

Basta um tempeiro baiano pra gente

provar o sabor desse povo que ri

da tristeza ao invés de chorar...



Capoeira, ganzá, berimbau, vatapá e acarajé..

Jorge Amado, Zumbi, Castro Alves,

Caetano e Caribé...

Do outro lado do mundo vem gente pra ver

Como é que é esse tal de "sorria,

Você está na Bahia, meu Rei!"

Que a graça de Deus te embale...

Que Água da vida te regue de amor...

Que o Santo dos santos te dê sua paz... Bahia!

Que o Mestre Jesus seja o teu Salvador!
 
 
João Alexandre

22/07/2010

In Salvador-BA


Pelorinho - Salvador - BA

20/07/2010

In Salvador

Eu e mamãe no eleador lacerda- BA

15/07/2010

13/07/2010

O que importa.



   Não há amor certo ou amor errado, certo e errado é questão de opinião. O que importa é amar. 
   Não há amor errado, pois, pelo amor, que é um sentimento infinitamente sublime, é que viemos a esse mundo. Ele é tão certo, que chegou ao ponto de gerar a vida, compor a essência de tudo aquilo que existiu, existe e existirá.  
   Ao amor não lhe cabe adjetivos para o qualificar, pois ele é um fim em si mesmo e inefável.
   Amar é amar quando o sentimento que o permeia é de modo despretensioso, inocente - como uma criança, expressivo, solidário, sem julgamento e com único interesse: o bem querer.  
   Amar é Amar; e ponto.


Rafael Amaral. 13/07

11/07/2010

Cristo o sol da minha vida. O Sol voltou a brilhar!


O sol vai saindo de mansinho, sem ninguem perceber, ele vai aparecendo de vagarinho.
Vai aquecendo as terras, os matos, os corpos e tudo que estiver no seu caminho.
Na sua jornada, que é diária, vem trazendo vida, alegria, sorrisos e paz!
Quando ele não aparece as pessoas ficam cinzas, com humores alterados.. nada lhes satisfaz.

Do mesmo modo é Cristo. Quando aceitamos ele, sua vida em nós vem aparecendo.
Com afeição de luz, de paz o sentido da vida vem trazendo.
Seu período conosco é eterno, seu consolo é presente e o seu amor é bem grande!
Ele é profissional em revolucionar vidas cinzentas, humores alterados.. ele da firmeza constante!

Se existe um sol que ilumina as coisas do lado de fora, certamente Cristo é quem ilumina o lado de dentro.
Assim como o sol, sua jornada não para nem uma hora, Cristo vive em mim e não perde nenhum momento.
O sol é grande em tamanho e esbanja calor.
Cristo na terra foi pequeno, homem pobre, mas de infinito amor.

Rafael Amaral 11/07/2010

09/07/2010

Pode ser que na sua vida...

Pode ser que na sua vida
você precise correr atraz de sua oportunidade...
ou você tenha que esperar, paciêntemente, por ela.
Pode ser que na sua vida...
você precise ouvir conselhos antes de agir...
ou você tenha que arriscar, bravamente, na sua atitude.
Pode ser que na sua vida...
Você precise abrir mao de um sonho pelo amor...
ou você tenha que brigar pelo seu sonho por amor.
Pode ser que na sua vida...
Você precise se interiorizar para curar uma ferida...
ou voce tenha que exteriorizar para se libertar.
Pode ser que na sua vida...
Você precise ser inssistente...
ou voce tenha que desistir logo.
Pode ser que na sua vida...
Você precise amar e ser amado também...
mas odiar, nunca, ninguem.
Pode ser que na sua vida...
Você precise dar um jeito para um determinado problema...
ou voce tenha que o aceitar, e ser feliz assim mesmo.
Pode ser que na sua vida...


Rafael Amaral 08/07/10



Embreve mês do "Apocalipse revelado". Serão posts que alertarão, comunicarão, exclareceção e divulgarão, pelo poder do Espirito, o povo de Deus, das coisas que ja aconteceram, que estão acontecendo e estão por vir, de acordo com apocalipse e a palavra de Deus, a Bíblia - como um todo, sobre àquele dia, o dia do Senhor!

Conto com a ajuda de todo aquele que se sentir útil e tenha prazer à essa missão, de proclamar o Evangelho. Embora faça isso para conhecimento pessoal, tenho certeza que essas informações serão muito útil à vida e à caminhada cristã de todo aquele que ler.
Ingrid, conto contigo com notícias e estudos sobre o apocalipse, somos um em Cristo.

Inicialmente farei um estudo e em seguida um post, breve, sobre o que é o apocalipse, porque ele foi anunciado, qual é o objetivo e a opnião de Cristo sobre o assunto.

Vou à Bahia, Salvador, terça-feira (13/07), terrinha da Ingrid, visitar minha mãe, irmã e querida sobrinha, terei tempo para pesquisar sobre esse determinado tema. Até o final do mês!

Que Deus abençoe essa iniciativa.

No amor de Jesus, Rafael Amaral

19/06/2010

Solidão: O que fazer?

Solidão: O que fazer

Estava há dias a ler um artigo sobre este tema que me fez pensar como atualmente muitas pessoas reclamam em estar sós: "O que há de errado comigo que não arrumo companhia? Estou procurando há tempos alguém íntegro, de caráter, honesto e verdadeiro e veja só o que me aparece... um pior do que o outro!", reclamam os solitários.

Noto que, paralelamente a este fato, outras pessoas nunca se sentem sós. Estão sempre acompanhados; têm grande poder de atração; acabam uma relação e, no máximo em uma semana, estão com outra pessoa, nem que seja apenas sexualmente, mas, sozinhos, nunca.

Quando entro em contato com a dor que a solidão me traz é onde posso dar o primeiro passo a cura da mesma. Certamente, todos nós, em algum momento de nossas vidas, já nos sentimos solitários, com esta sensação de falta e é provável que tenhamos chorado sentindo falta de alguém ou de um amor que se foi. Isso é normal, somos humanos, mas, neste momento, me refiro "aos solitários de carteirinha", aqueles(as) que passam parte de suas vidas em amarguras, sofrimentos, tristezas, melancolias e profundas dores emocionais. Elegeram a solidão como justificativa para sua vida não andar ou não estabelecer vínculo com outras pessoas, ficam presos a determinados arquivos emocionais, e têm, nessa vida, uma ótima oportunidade de cura se assim o desejarem.

De fato, os seres humanos não nasceram para viverem sós. Nós somos seres gregários, precisamos da companhia, do carinho, da proteção, da amizade, do compartilhar. É na troca dentro das relações ou papéis que representamos, que desenvolvemos competência para interagir com cada um deles, pois na vida humana o que nos diferencia dos nossos irmãos animais são os processos de aprendizado estabelecidos na relação com seu semelhante. O pior tipo de solidão é aquela que mesmo em companhia de pessoas queridas, sentimos o vazio, a falta de alguém ou algo.

Assim, todos os solitários que sofrem por este motivo, estão cometendo um enorme equívoco: "não olhar sua relação consigo mesmos". Estão buscando fora, aquilo que deveriam buscar dentro. A experiência humana nos dá oportunidade, através do apoio do outro, de me reconhecer, aprender a ficar comigo, me acolher, me aceitar, me amar, me curtir, e ter uma qualidade de vida interior mais saudável, para me relacionar depois de ter superado as necessidade primitivas do meu nascimento e desenvolvimento, quando for um adulto que consegue assumir sua vida e sua caminhada. Solidão nada mais é que sentir falta de mim mesmo. Quem assume ficar consigo pode até sentir falta de outra pessoa, mas alcança qualidade de vida à medida que se aceita, para depois entrar numa relação afetiva pronto para trocar.

Solitários de plantão, permitam-me um dica amorosa: a solidão não existe, ela é o abandono que pratico comigo mesmo. Eu tenho em mim a dose de amor correta de tudo aquilo que necessito e se me der este amor, se entender que sou eu que curo as minhas relações e não a presença do outro, de quem ainda me mantenho dependente, em pouco tempo poderei estar inteiro para viver uma gostosa relação de amor com meu próximo.

29/05/2010

Só pode ser hoje.

Hoje resolvi escrever com tranqüilidade, com suavidade e amor.
Resolvi escrever pra no futuro ler com orgulho a desenvoltura da minha escrita e do meu pensamento, orgulho também desse momento que estou vivendo e dos sentimentos que tem permeado meus dias atuais, citados inicialmente.

Hoje resolvi perdoar os que erram comigo e também os meus inimigos, pois já errei e fui perdoado.
Hoje vi que criticar, pensar e falar não faz muita diferença, mas ouvir e agir é a base para a perpetuidade de uma opinião.
Hoje não vou falar de pessoas, vou ajudá-las.
Hoje não vim aqui pra ser juiz, mas para ser aquele que presta atenção nas pessoas para às entender melhor.
Hoje vou compartilhar experiências boas ou más, não interessa. O bônus e o ônus dessas experiências me tornaram em quem sou hoje.
Hoje vou quebrar todas as regras, portanto, vou abraçar, vou sorrir, vou ouvir, vou chorar, vou pular, vou confiar.
Hoje vou esquecer o que me fizeram ontem. Ninguém é igual. Eu tive uma segunda (terceira, quarta, quinta, sexta) chance, por gratidão vou ceder cordialidade às pessoas.
Hoje o mundo é um caos, mas amanha depende só de mim.
Hoje vou fazer melhor que ontem e amanha melhor que hoje.

Farei isso enquanto um pintor não transportar o som dessa lágrima em uma pintura.


O Reino está perto.


Rafael Amaral.

16/05/2010

Controlar o pensamento é uma arte

Estava pensando bem sobre as coisas, e pensei que tudo em algum dia já fora pensado antes, e se já foram pensadas, muitas coisas já foram feitas antes também.

Fiquei atônito por isso, o meu pensamento mais novo, é antigo. Minha descoberta mais atual é arcaica.

Fiquei surpreso ao saber também que - mesmo eu não possuindo um mar de dinheiro - não é com dinheiro que eu encontro a minha essência, mas com trabalho e amor.

Esses dias estava inquieto procurando um método 100% confiável que me desse técnicas para por o dedo no lugar certo no Violino, não existe. Pois em nenhum lugar vende paciência. Daí fiquei feliz, porque, mesmo que não tenha achado a saída, encontrei o caminho.

Descobri que as palavras têm um poder extraordinário, elas guiam a sua vida, e também guiam a vida de outra pessoa. E quando as pessoas estão falando, há um universo de possibilidades.

Daí outra vez estava pensando sobre as pessoas, e me perguntei. “Por que elas falam tanto sobre coisas que não as deixarão mais inteligente, nem mais ricas, nem mais intelectuais, ou mais influentes na sociedade... era somente para encontrar o sorriso ou a gargalhada.

Estava pensando na sociedade. A definição da palavra veio à cabeça como uma união de pessoas em prol de uma organização em comum, companheirismo. Mas em seguida empreguei a definição de sociedade, no contexto social em que vivo. Vi de novo que é um engano, talvez pelas pessoas, talvez pelo sistema ou pelo simples motivo do homem estar destituído da presença de Deus, não existe confraria nenhuma na sociedade. Aqui não há união nenhuma em prol nenhum, e a organização em comum não existe. O palavra mais apropriada para denominar o convívio de pessoas em um espaço comum seria, Individualidade.

Pensei sobre o pensamento, me veio à mente que é a tentativa muita das vezes frustrada de encontrar em si, uma resposta para aquilo que você sempre procurou e que não vai achar nunca. É a sua opinião sobre algo, que agora é certo e amanha é errado. Mas pensar não dói, e só pensam aqueles que estão a procura de conhecer-se e não tem medo disso. Esse círculo retoma o início nas palavras de Salomão 530A.C que disse: “Tudo é vaidade, e correr a traz do vento.”
E assim descobri que tudo o que eu escrevi ou pensei, tudo, já foi pensado e escrito antes.


Rafael Amaral 16/05

07/05/2010

Escravos, apenas escravos.

Embora a situação seja séria, acho muito engraçado tudo isso! Escravos, apenas escravos orgulhosos!

Muitas coisas nos são imposta, pelo Estado, pelo sistema - capitalista -, pelas pessoas, pela cultura, pela internet e etc.

Mas até quando essas coisas realmente nos fazem bem e são úteis à nossa vida? Será que “porque todos estão aderindo” é um argumento evasivo, ao ponto de dedicarmos nossa atenção e tempo de vida – que por sinal está cada vez mais curto - nessa suposta ferramenta ou até mesmo valor ideológico?

Acredite. Ninguém nesse mundo faz nada pra ninguém de graça. Tudo, exatamente tudo, tem um objetivo que leva ao bem de alguém, e muitas das vezes nós abrimos mão de nós mesmo para sermos apenas uma engrenagem, sem valor e non sense.

Pense nisso. “- Até onde o que você faz e pensa vem de ti e até onde o que você faz e pensa é lhe foi imposto.”

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”
João 8: 32
“Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz”
João 18:37
R.A.

Os bons necessitam de oração?

"Sim os bons filhos - os que andam com o Senhor - necessitam de orações maternas tanto quanto os desgarrados. O inimigo nao deseja que esses filhos andem com o Senhor, e fará tudo para desviá-los.  Ele os tentará, procurará desanimá-los e levará outros a falar mal deles. Ele pode até levá-los a ocupar-se na realização de algo para o Senhor, afim de fazê-los esquecer de quão mais importante é ser oque Deus deseja que sejam. Visto ser Satanás ardiloso e obstinado, "os bons filhos" necessitam da cerca protetora proporcionada pela oração, tanto quanto aqueles que estão fora da família de Deus."

Como orar por seus filhos - Quim Sherrer

01/05/2010

Da vida estou aprendendo...

Que quando se quer algo, tem que ir pegar.
Que escolha impensada nos leva a qualquer lugar, só nao leva a felicidade.
Que amor pra sempre é o de mãe.
Que liberdade é uma condição que poucos desfrutam, embora esteja solto por ai.
Que expressão nao é para todos.
Que palavras existem para passar a outrem informação inteligente.
Que seu modo de vida é mais notado que suas palavras.
Que ninguem é igual a ninguem.
Que todos temos os mesmos instrumentos para vencer, mas precisamos usa-lo de forma consciente.
Que particularidade é aquilo de mais importante que temos.
Que as horas se arrastam enquanto nada fazemos, e voam enquanto aproveitamos.
Que nao devemos viver amanha como vivemos hoje.
Que a paixão é verdadeiramente o motor que nos impulsiona a frente.
Que o medo é buraco negro da vida.
Que respeito não é imposto mas conquistado.
Que estudar é maravilhoso, tirar nota 10 é o máximo, ser o orgulho da sua mae é inefável.
Que mãe é minha mãe, DEUS é pai e Estevão é um exemplo, um orgulho!
Que só está seguro aquele que habita no esconderijo do Altissímo.
Que disciplina nao é um carma ou maldição, mas aprendizagem.
Que a minha paz nao é privatizada, mas privilégio gratuito.


Continua....

24/04/2010

PERGUNTAS FEITAS PARA O DIABO

QUEM O CRIOU?
Lúcifer :
Fui criado pelo próprio Deus, bem antes da existência do homem. [Ezequiel 28:15]

COMO VOCÊ ERA QUANDO FOI CRIADO?

Lúcifer :
Vim à existência já na forma adulta e, como Adão, não tive infância. Eu era um símbolo de perfeição, cheio de sabedoria e formosura e minhas vestes foram preparadas com pedras preciosas. [Ezequiel 28:12,13]

ONDE VOCÊ MORAVA?

Lúcifer :
No Jardim do Éden e caminhava no brilho das pedras preciosas do monte Santo de Deus. [Ezequiel 28:13]

QUAL ERA SUA FUNÇÃO NO REINO DE DEUS?

Lúcifer :
Como querubim da guarda, ungido e estabelecido por Deus, minha função era guardar a Glória de Deus e conduzir os louvores dos anjos. Um terço deles estava sob o meu comando. [Ezequiel 28:14; Apocalipse 12:4]

ALGUMA COISA FALTAVA A VOCÊ?

Lúcifer :
(reflexivo, diminuiu o tom de voz) Não, nada. [Ezequiel 28:13]

O QUE ACONTECEU QUE O AFASTOU DA FUNÇÃO DE MAIOR HONRA QUE UM SER VIVO PODERIA TER?

Lúcifer :
Isso não aconteceu de repente. Um dia eu me vi nas pedras (como espelho) e percebi que sobrepujava os outros anjos (talvez não a Miguel ou Gabriel) em beleza, força e inteligência. Comecei então a pensar como seria ser adorado como deus e passei a desejar isto no meu coração. Do desejo passei para o planejamento, estudando como firmar o meu trono acima das estrelas de Deus e ser semelhante a Ele. Num determinado dia tentei realizar meu desejo, mas acabei expulso do Santo Monte de Deus. [Isaías 14:13,14; Ezequiel 28: 15-17]

O QUE DETONOU FINALMENTE A SUA REBELIÃO?

Lúcifer :
Quando percebi que Deus estava para criar alguém semelhante a Ele e, por conseqüência, superior a mim, não consegui aceitar o fato. Manifestei então os verdadeiros propósitos do meu coração. [Isaías 14:12-14]

O QUE ACONTECEU COM OS ANJOS QUE ESTAVAM SOB O SEU COMANDO?

Lúcifer :
Eles me seguiram e também foram expulsos. Formamos juntos o império das trevas. [Apocalipse 12:3,4]

COMO VOCÊ ENCARA O HOMEM?

Lúcifer :
(com raiva) Tenho ódio da raça humana e faço tudo para destruí-la, pois eu a invejo. Eu é que deveria ser semelhante a Deus. [1Pedro 5:8]

QUAIS SÃO SUAS ESTRATÉGIAS PARA DESTRUIR O HOMEM?

Lúcifer :
Meu objetivo maior é afastá-los de Deus. Eu estimulo a praticar o mal e confundo suas ideias com um mar de filosofias, pensamentos e religiões cheias de mentiras, misturadas com algumas verdades. Envio meus mensageiros travestidos, para confundir aqueles que querem buscar a Deus. Torno a mentira parecida com a verdade, induzindo o homem ao engano e a ficar longe de Deus, achando que está perto. E tem mais. Faço com que a mensagem de Jesus pareça uma tolice anacrônica, tento estimular o orgulho, a soberba, o egoísmo, a inimizade e o ódio dos homens. Trabalho arduamente com o meu séquito para enfraquecer as igrejas, lançando divisões, desânimo, críticas aos líderes, adultério, mágoas, friezas espirituais, avareza e falta de compromisso (ri às escaras). Tento destruir a vida dos pastores, principalmente com o sexo, ingratidão, falta de tempo para Deus e orgulho. [1Pedro 5:8; Tiago 4:7; Gálatas 5:19-21; 1 coríntios 3:3; 2 Pedro 2:1; 2 Timóteo 3:1-8; Apocalipse 12:9]

E SOBRE O FUTURO?

Lúcifer :
(com o semblante de ódio) Eu sei que não posso vencer a Deus e me resta pouco tempo para ir ao lago de fogo, minha prisão eterna. Eu e meus anjos trabalharemos com afinco para levarmos o maior número possível de pessoas conosco. [Ezequiel 28:19; Judas 6; Apocalipse 20:10,15]

MEDITE NESSA MENSAGEM. VEJAM QUE FOI ELABORADA COM BASE NOS VERSÍCULOS BÍBLICOS, POR ISSO É UMA ILUSTRAÇÃO DA MAIS PURA VERDADE.


"COMO DIZ O ESPÍRITO SANTO: HOJE, SE OUVIRDES A SUA VOZ, NÃO ENDUREÇAIS OS VOSSOS CORAÇÕES." HEBREUS 3:7,8


"Ninguém tem maior amor do que este: de dar a Sua vida em favor dos Seus amigos." João 15:13

Você que se diz de Deus e que recebe uma palavra dessa e não repassa aos seus contatos, tem que verificar se está fazendo mesmo a vontade de Deus.

Jesus te ama... e eu também...

10/04/2010

O EU

Preocuro primeiro ser eu mesmo, única e verdadeiramente, depois em ser eficiente diante das situações entre o inspirar e o aspirar da vida.
Fico triste nao é pela ausencia de alegria - porque é eterna - mas por nao ter - naquele momento - tempo para rir, pois estou pensando em melhorar algo, sempre.
Nao queria terminar assim, cliche, mas nao há nada mais consistente que a verdade.
- A felicidade é apenas questão de escolha. Disse o sábio pedinte em uma praça.

30/03/2010

– Eles são feitos de carne.

– Carne?

– Carne. Eles são feitos de carne.

– Carne?

– Já não há mais qualquer dúvida. Capturamos diversos deles de diferentes partes do planeta, trouxemos a bordo das nossas naves de reconhecimento e submetemos a todo tipo de exame. Eles são completamente carne.

– Isso é impossível. E que dizer dos sinais de rádio? As mensagens para as estrelas?

– Eles usam as ondas de rádio para conversar entre si, mas os sinais mesmo não vêm deles. Os sinais vêm de máquinas.

– Então quem fez as máquinas? São esses que queremos contatar.

– Eles fizeram as máquinas. É o que estou tentando te dizer. A carne fez as máquinas.

– Isso é ridículo. Como é que carne poderia fazer uma máquina? Você está me pedindo para acreditar em carne autoconsciente.

– Não estou pedindo, estou dizendo. Essas criaturas são a única raça autoconsciente daquele setor e são feitos de carne.

– Talvez eles sejam como os orfolei. Você sabe, inteligência baseada em carbono que passa por um estágio de carne.

– Não. Eles nascem carne e morrem carne. Estudamos as criaturas por vários de seus ciclos de longevidade, que são bem curtos. Você faz ideia de qual é a vida útil de carne?

– Poupe-me. Tudo bem, quem sabem eles sejam só em parte carne. Você sabe, como os weddilei. Uma cabeça de carne com um cérebro de electroplasma dentro.

– Não. Pensamos nisso, já que eles têm cabeças de carne como os weddilei. Mas eu disse, examinamos os caras. São carne do começo ao fim.

– Sem cérebro?

– Ah, têm cérebro, sim senhor. A questão é que o cérebro é feito de carne! É o que estou tentando te dizer.

– Mas… o que é que faz a parte de pensar?

– Você não está mesmo querendo entender, não é? Está se recusando a assimilar o que estou dizendo. O cérebro é que faz a parte de pensar. A carne.

– Carne pensante! Você está me pedindo para acreditar em carne pensante!

– Exato, carne pensante! Carne consciente! Carne amorosa. Carne sonhadora. A carne é a questão toda! Você está começando a sacar ou devo começar de novo?

– Meudeus. Você está falando sério então. Eles são feitos de carne.

– Valeu. Finalmente. Sim. Eles são de fato feitos de carne. E vêm tentando entrar em contato conosco ao longo de quase cem dos anos deles.

– Meudeus. Então o que essa carne tem em mente?

– Primeiro quer entrar em contato conosco. Imagino que depois queira explorar o universo, contatar outras entidades inteligentes, trocar ideias e informação. O usual.

– Estão esperando que a gente entre em contato com carne.

– É essa a ideia. É a mensagem que eles vêm transmitindo pelo rádio: “Alô. Tem alguém aí. Alguém em casa.” Esse tipo de coisa.

– Eles falam, então. Usam palavras, ideias, conceitos?

– Ah, sem dúvida. Só que eles usam carne para fazer isso.

– Você acaba de me dizer que eles usam o rádio.

– Usam, mas o que você acha que está no rádio? Sons de carne. Sabe quando você sacode ou estala um pedaço de carne e ele faz um barulho? Eles conversam estalando a sua carne uns para os outos. Até conseguem cantar, esguichando ar pela carne deles.

– Meudeus. Carne cantante. Isso já é demais. O que você aconselha?

– Oficialmente ou extraoficialmente?

– Os dois.

– Oficialmente somos obrigados a entrar em contato, dar boas-vindas e protocolar toda e qualquer raça consciente ou multiseres deste quadrante do universo, sem preconceito, medo ou preferência. Extraoficialmente, aconselho que apaguem-se os registros e que esqueçamos a coisa toda.

– Eu estava esperando que você dissesse isso.

– Parece cruel, mas há um limite. Queremos de fato fazer contato com carne?

– Concordo cem por cento. O que haveria para dizer? “Alô, carne. Tudo bem?” Mas será que isso vai dar certo? De quantos planetas estamos falando?

– Só um. Eles podem viajar a outros planetas em contêineres especiais de carne, mas não podem viver neles. E, sendo carne, só podem viajar no espaço C, o que os limita à velocidade da luz e torna a possibilidade de chegarem a fazer contato bem pequena. Quase nula, na verdade.

– Então só temos que fingir que no universo não tem ninguém em casa.

– Exato.

– Cruel. Mas você mesmo disse, quem quer conhecer carne? E aqueles que estiveram a bordo de nossas naves, aqueles que vocês examinaram? Tem certeza de que eles não vão lembrar?

– Serão considerados malucos se lembrarem. Entramos no cérebro deles e alisamos bem a carne, de modo que somos apenas um sonho para eles.

– Um sonho para a carne! É estranhamente apropriado isso, que devamos permanecer sonho de carne.

– E marcamos o setor inteiro como desocupado.

– Muito bem. Está concordado, oficialmente e extraoficialmente. Caso encerrado. Algum outro? Alguém interessante naquele lado da galáxia?

– Sim, uma tímida mas doce colmeia inteligente de aglomerados de hidrogênio numa estrela classe nove na região G445. Chegou a manter contato há duas rotações galáticas, quer reatar a amizade.

– Esse pessoal sempre acaba voltando.

– E porque não? Imagine quão insuportável, quão inconcebivelmente frio seria o universo para quem estivesse sozinho nele.

22/03/2010

Mudar o universo.

Meu entender para mudar-mos o universo, nosso mundo ou nosso redor basta interagir-mos de qualquer forma com o "agora", isto é, mudar com uma ação qualquer - ou ação nenhuma - o presente intato para o presente alterado.
    
     Com um graveto na areia da praia, poderia mudar o universo;
     As ondas deixariam tudo como era antes.
     Com uma caneta e uma folha, poderia mudar o universo;
     Basta amassar para se tornar apenas uma bola de papel.
     Com minhas ideias e minhas palavras, poderia mudar o universo;
     O tempo faz esquecer todas as palavras.
     Com meu trabalho, poderia mudar o universo;
     Até o computador sujar e nao ligar novamente.
     Com um instrumento e uma partitura, poderia mudar o universo;
     Basta o silencio entrar em cena para voltar ao normal.
     Com um livro, poderia mudar o universo;
     E Quando eu esquecer o que li?
     Com minha vida e poder, poderia mudar o universo;
     Poder é algo que é para poucos nesse universo.
     Com dinheiro, poderia mudar o universo;
     Faria qualquer coisa, menos mudar o universo significativamente.
     Enfim, um pessimista nunca influênciaria de forma permanente algo grande como o universo.
     Considerando que cada ser humano é um universo diferente, um pessimista nao tem uma boa relação com nenhum "universo".

     O otimista por outro lado...

     Me de um pouco de AMOR, alguns anos de VIDA, me de AMIGOS e mudamos com DEUS o universo!!

     CRISTO que é o AMOR tal de DEUS, ganhou alguns anos de VIDA e com alguns AMIGOS transformam o universo até hoje.

Louvado seja Deus!

19/03/2010

Hora de escrever. II

      Ainda estou na busca insaciavel atraz do real - isto é, o segredo - do evangelho. Minha busca tem como base a direção Divina em oração e na Palavra de Deus, tambem  fui além dessa base - se é que posso ir além da Palavra de Deus como pesquisa.
      Confesso que nao tenho uma compreensão dos textos Bíblicos em mim mesmo, pois nunca estudei o mundo antigo onde foi o cenário das Escrituras Sagradas, nem costumes da época para um entendimento "completo", logo, estou lendo livros e acompanhando blogs, ambos bastante polêmicos, os que mais vejo é o Bacia das Almas e o Genizah Virtual.
      Na verdade, em nenhum desses lugares encontrei o segredo, mas achei umas pistas muito importantes. Descobri como nao ser um cristão, descobri que homens impuseram leis terrenas na mente das pessoas para elas cumprirem como se fosse Leis Divinas, descobri o fundamento do captalismo dentro da igreja dentre outras muitas descobertas nao descobri o segredo do evangelho.

     O segredo quando digo, é o real sentido, o verdadeiro significado, a esperança verdadeira, a motivação diária, a alegria eterna. Quanto mais eu busco mais se confirma a certeza dentro de mim que o segredo ja fora desvendado, que Ele sempre esteve aqui o tempo todo de baixo do meu nariz - e do seu. Simples e claro o tempo todo, de braços abertos e um sorriso no rosto dizendo pra nós:
- Só olha pra mim, só olha pra mim Filho.
- Meu nome é Jesus.

Glórias a Deus.

07/02/2010

06/02/2010

Hora de escrever

...Como eu poderia escrever de forma que só eu entenda ao ler?
Esse blog inicialmente foi feito para que eu acompanhe minha evolução do pensar;
...ja sei...
Dai então pelomenos uma vez ao mes eu posto alguma coisa que achei que li e mudou meu pensamento;
...Hoje estou pensativo.. pois nao estou contente com algumas coisas que descobri...
Esse texto "Deus existe?" logo abaixo, ou o "Buscar com todo o coração" foi uma leitura muito especial;
...tenho me dedicado com esforço em conhecer a Deus e a busca-lo com forças próprias...
Pois de alguma forma serviu de coluna a alguns pensamentos
...dai descobri que tudo foi em vão...
E em outros momentos gostaria de le-lo para assim "relembrar" ou "rever" um velho amigo
...mas continuarei a busca-lo... e certamente irei encontra-lo!

QUANDO BUSCAMOS DE TODO CORAÇÃO




"Buscar-me-eis e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração". Jer 29:13






É assim, Deus não está medindo as coisas pelo meio, nem está para permitir fazer ajustes de contas com qualquer ser humano: qualquer um O pode achar nas Suas condições. Você é crente? Ainda bem, ainda pode achar Deus, pois não se engane! Apenas quem crê poderá achar.


A parte essencial de todas as orações, nunca é o buscar mas sim o achar. Quem não acha, ou não orou e, se orou, deu no mesmo: melhor lhe seria nunca haver perdido seu tempo. Oração que não acha, é sinal de mal-estar ou desaprovação da parte de Deus, ou sobre a oração em si ou sobre a vida de quem ora, no geral; e, qualquer crente deve estar cabalmente habilitado a ler os sinais dos tempos: oração sem resposta, pede de nós algo mais que a própria resposta em si. O sol sem qualquer calor, a água sem humidade, o homem sem amor, o olho de um cego, ou uma oração sem resposta, nada de diferente têm entre eles. Resposta não pode servir de sinal, mas nunca deixa de ser um sinal. A resposta é o coração da oração. Crente que ora e fica satisfeito quando Deus está calado, continuando assim mais um dia, é como criança que brinca com seu carrinho pensando que é gente grande num rali. Mas, se continuar assim toda sua vida de crente, algo de errado se passa em tal pessoa – algo de muito errado mesmo! É necessário que chegue o dia que isso pare.


Já falou com alguém ao telefone? Que acharia se estivesse falando sozinho? E que acharia se houvesse resposta e correspondência adequada, por exemplo, um “sim” e tal coisa nunca se confirmasse na prática depois? Dormiria ainda com paz, sabendo que pode estar a ser enganado ainda em tempo de reverter tudo a seu favor? Hoje ainda, assim que ouvir Sua voz, seu sinal de mal-estar? Ou preferiria o lar dos tolos onde se diria “Deus há-de fazer, Ele há-de me abençoar”, quando Ele quer mostrar-lhe precisamente o oposto daquilo que você pensa através da ausência de resposta? Eu poderia imaginar, poderia afirmar até, que, mesmo obtendo resposta, não serve de sinal claro que Deus está connosco e de bem com quem ora – imagine, então, como está Deus com quem nunca obtém resposta! Caim falava com Deus e obtinha resposta! Os demónios pediram a Jesus para entrar nos dois mil porcos e Jesus lhes concedeu o seu pedido. Será que há pessoas dentro de nossas igrejas piores que Caim aos olhos de Deus? Se Deus ouve os demónios em pedido (por vezes), porque se recusa a ouvir os crentes?


Deveria ser a coisa mais simples, mais natural de todos os costumes humanos, o ser-se ouvido por Deus. Nada disso deveria ser estranho ao ser humano. Mas é! Vamos ver este versículo de buscar Deus de todo o nosso coração: que significa ele para nós, pois apenas assim O acharemos de forma real.


Em primeiro lugar, Deus se concentra na palavra “Me achareis” e passa todo o ênfase para, “de todo o coração”. Sabe que Deus diz assim: “Eis que Meu galardão está comigo”. Esta palavra, “ME achareis”, deveria merecer muito mais atenção de todos nós – nem que seja por um momento apenas. Deus não diz para buscarmos as coisas que Ele dá e distribui, mas sim a Ele somente. Assim acharemos todas as coisas n’Ele e não todas as coisas d'Ele. Se O acharmos, seu galardão vem com Ele. Quer pão? Esqueça que está com fome e busque achar a Ele e não pão; está com sede? Ele diz “vem a MIM” e não às águas que Eu dou; entende este discurso? “Por que não compreendeis a minha linguagem? É porque não podeis ouvir a minha palavra”, João 8:43. Jesus, Deus afirma “ME achareis”. É a Ele que busca? Ou é a cura que Ele promete? Ou a felicidade? Se busca a Ele, porque razão acha que achará outra coisa?


Deus nunca enganou ninguém: se não O achar, pessoalmente, individualmente junto com seu pedido, caso seu pedido haja sido atendido, é claro que se precipitará no mar também, como aconteceu com os porcos nos quais os demónios entraram! Ou acha que só aos porcos pode acontecer tal coisa e ao seu pedido não? Deus disse a Abraão: “Não temas, Abraão; Eu sou o teu escudo, o teu único galardão”, Gen.15:1. Se Deus atender o seu pedido e Ele não estiver incluído pessoalmente na resposta da oração que fez, se Ele não é o seu único galardão também, logo, o seu pedido é coisa que para nada serve, senão para ser pisado pelos homens, como sal sem sabor o será.


“De todo o coração”: poderia escrever um livro inteiro sobre isto. Mas não vou, porque espero que você se irá colocar de joelhos para multiplicar este pão com aquela confiança de quem o fará, porque esta é uma vontade de Deus. Se está orando, se está suplicando preocupado, como pode estar seu coração TODO envolvido na busca de Deus? Quando Deus fala “de todo coração”, quer dizer o oposto de se estar dividido entre dois, três ou dois mil pensamentos e ocupações (reais ou imaginárias). Se o seu filho está à morte, se o seu pedido é urgente, será que vai buscar Deus por Ele? Ou o seu coração está dividido entre Deus e seu filho quando O busca?


Há que buscar Deus, mas de todo coração. O mesmo Deus que disse “Não adulterarás”, também disse com a mesma força de todas as Suas palavras que, “Não procureis, pois, o que haveis de comer, ou o que haveis de beber e não andeis preocupados. Porque a todas estas coisas os povos do mundo procuram; mas vosso Pai sabe que precisais delas”, Lucas 12:29-30.


Então? Em que ficamos? Buscamos Deus? Achamos Deus? Vai querer, desejar só o galardão de Quem amou todo o mundo de tal maneira que se entregou por ele? Ou será Ele o seu único galardão também, o único motivo por que O busca? Se não for, o seu coração estará dividido. E só O achará se O buscar de todo coração. Ámem.

21/01/2010

Deus Existe?

Deus existe? - Por Rodrigo Avelar

Não sou nenhum filósofo, teólogo nem estudioso conhecedor de todas as leis Divinas, mas tenho prazer em conhecer os pensamentos das pessoas e extrair deles alguma verdade que venha a coincidir com meus conceitos extraídos das sagradas escrituras. Não tenho por objetivo atacar ou desafiar ninguém a respeito do assunto, estou expondo o meu ponto de vista a respeito, mas se alguém sentir vontade de refutar a minha idéia ou provar o contrário, estou aberto a discussões.

Vamos tecer um breve comentário a respeito da existência de Deus, o que diziam os grandes Filósofos da era passada.

Ao contrário do que muitos ateus pensam, as maiores inteligências que o mundo já viu, os gênios que deixaram as marcas mais profundas de sua passagem sobre a face da terra, reconheceram a existência de Deus. Conforme comentou um apologista cristão, “estas frontes iluminadas pelos esplendores do gênio, aureoladas pelas glórias do saber, consagradas e abençoadas pela memória dos homens, curvaram-se humildes e reverentes ante o nome de Deus.”Apesar de a maioria desses homens jamais ter alcançado o pleno conhecimento da verdade (pois suas mentes não foram banhadas na fé e na graça daquele que lhes daria a completa revelação de Deus - Jesus Cristo), eles viveram como que na penumbra, interrogando e buscando sempre. O interessante é que todas as investigações feitas na vida desses grandes homens, desses cérebros privilegiados que estudaram pacientemente os segredos da natureza, descobriram suas leis e construíram o colossal edifício da ciência moderna, todas as investigações feitas em suas vidas, repito, revelam que quase todos eles creram na existência de Deus. Com muita razão, o filósofo inglês Francis Bacon (1561-1626) observou que “pouca ciência afasta o homem de Deus, porém muita ciência a Deus o conduz”.

Consideremos o período da história humana em que a filosofia atingiu o seu esplendor. Entre os gregos, precisamente em Atenas, existiu um filósofo pagão, cuja agudeza de raciocínio e método de ensinar filosofia aos seus alunos o colocou entre os mais profundos pensadores de todos os tempos: Sócrates, que por não ter concordado com a crença politeísta dos gregos, Sócrates foi julgado e condenado à morte. (Aliás, este foi um dos motivos de sua condenação). Mas eis o que esse pensador declarou sobre Deus: Acredito na existência de um só Deus todo poderoso, dotado de sabedoria e bondade absolutas, provadas com a sublime harmonia do universo e com a maravilhosa organização do corpo humano. Relativamente à fé na existência de Deus, há nos diversos povos um acordo unânime que faz a humanidade como que uma só família. A fé religiosa é anterior a toda civilização; os viajantes não descobrem povo algum sem lhe reconhecerem pelos menos um culto grosseiro; a história vê por toda parte Deus associado geralmente tanto às alegrias como às lágrimas da humanidade. Esta crença, quaisquer que sejam os erros que a tenham obscurecido, longe de favorecer em si mesma as paixões, combateas; só pode ter, portanto, como origem, os princípios que o próprio Deus gravou no espírito humano.Isto foi dito por um filósofo pagão! Foi diante de posicionamentos como este que o filósofo cristão Clemente de Alexandria chegou a declarar que a filosofia dos gregos não continha toda a verdade, “mas em todo caso era um fragmento da verdade eterna”. Além de Sócrates, dois outros filósofos tornaram a filosofia grega digna das palavras elogiosas de Clemente. Seus nomes: Platão (429-347 a.C.) e Aristóteles (384-322 a.C.)

Platão tateia nas trevas em busca de Deus

De todos os homens que falaram sobre Deus antes da Era Cristã, Platão foi o maior. O orador e teólogo francês Bossuet chamava-o de “divino”, e outros teólogos chegaram a compará-lo a Moisés. “Era Moisés escrevendo em grego” diziam, cheios de admiração diante das obras desse célebre filósofo.

Nascido em Atenas, Platão, ainda bem moço, tornou-se aluno de Sócrates, e foi sob a influência e os ensinamentos desse conhecido pensador grego que ele se tornou filósofo, criando, entre outras coisas, o Idealismo - sistema das idéias, onde a mais importante de todas elas é a idéia de Deus. Para nós, apologistas (defensores) do Cristianismo, é muito importante sabermos o que a genialidade de Platão descobriu sobre o Criador do universo. Comparando a verdade à luz, e Deus ao próprio sol (séculos mais tarde, o escultor e pintor italiano Miguel Ângelo escreveria: “O sol é a sombra de Deus”), Platão declara: Se tu abres os olhos, vês a luz, mas o teu olhar seguinte eleva-se para cima, para a origem de onde toda a luz é oriunda, para o sol; e quando os olhos do espírito se abrem, vê-se a verdade; mas o segundo olhar volta-se para onde emana toda a verdade, para o sol dos espíritos, para Deus. Platão costumava afirmar que existe na alma um ponto central, uma região onde Deus se manifesta ao ser humano “tocando-o neste ponto e suspendendo-o a ele”.

“A isto Platão chamava ‘Voz da consciência” ou “lei natural gravada no coração”. Ele também dizia que todos os homens deveriam esforçar-se para corrigir em si, mediante a contemplação da harmonia do Todo, “esses movimentos pessoais e desordenados que a natureza humana semeou no foco de nossa alma ao sermos gerados, a fim de que o contemplador recobre sua primeira natureza e, através dessa semelhança divina, torne-se apto a possuir finalmente a vida perfeita que Deus oferece aos homens para o tempo presente e para a eternidade”, ora, não são perfeitamente visíveis, nas palavras desse filósofo pagão, a doutrina do pecado original e a necessidade de o homem experimentar a regeneração e voltar ao seu antigo bom relacionamento com Deus? Se o mundo no tempo de Platão estava mergulhado no pecado, e a humanidade (com exceção da Nação escolhida) procurava conviver pacificamente com a idolatria e a corrupção moral, o que teria levado o aluno de Sócrates a detectar entre os seus contemporâneos, quase 500 anos antes do nascimento do nosso Salvador Jesus Cristo, a necessidade de regeneração, a não ser o Deus da justiça, da pureza e da verdade? “Filosofar é amar a Deus”, reconhece o grande filósofo.

Aristóteles: Deus é o motor que move o mundo

Nascido em Estagira, Grécia, em 384 a.C, Aristóteles é o terceiro grande nome da filosofia paga. Mudando-se para Atenas aos 18 anos de idade, começou a freqüentar a escola de Platão, com quem aprendeu filosofia durante 20 anos. Mais tarde tornou-se professor de Alexandre o Grande, e fundou sua própria escola. Suas idéias sobre Deus marcaram profundamente o pensamento dos teólogos cristãos, surgidos cinco séculos após sua morte. O gigantesco edifício de ciência e cultura criado por Aristóteles permanece nos séculos e milênios como um monumento imperecível do seu potente gênio. Para provar a existência de Deus, Aristóteles criou o argumento do motor. Diz ele que tudo o que está em movimento é movido por outra coisa. Tomemos o Sol como exemplo. Ele está em movimento; portanto, outra coisa o movimenta. Essa coisa que move o Sol, ou está também em movimento ou está imóvel. Se estiver imóvel, o argumento de Aristóteles fica demonstrado, ou seja: que é necessário afirmar a existência de algo que tudo move e que não é movido por nada: Deus! Porém, se o que move o Sol está também em movimento, isto significa que ele está sendo movido também por outra força. Aristóteles mostra que é impossível continuarmos recuando até o infinito. Faz-se, portanto, necessário afirmar a existência do causador de todos esses movimentos, que não é outra pessoa senão Deus. Ele é o motor que movimenta tudo! Alguém já comentou que se há alguma verdade no ensino dos filósofos e dos cientistas, deve ela vir do próprio Deus da verdade. Esse comentário está de acordo com o que Aristóteles pensava sobre Deus. No seu livro Metafísica, Aristóteles admite a existência de um Deus distinto do mundo, um Deus vivo, onipotente, Causa Primeira, motor imóvel (que move tudo e não é movido por nada fora de si mesmo), vivente eterno e perfeito; um Deus que é soberano, infinitamente inteligente, invisível em si mesmo, mas visível em suas obras, que a tudo governa por sua ação e por sua Providência, como um general governa um exército. Um Deus justo que castiga o homem livre e violador de sua lei imutável, e recompensa com a felicidade, agora e no porvir, aos que se unem à justiça. Falando dessa maneira sobre Deus, Aristóteles confirma aqui perfeitamente a frase de Platão: “Todos os sábios não têm mais que uma voz.”

Há uma filosofia universal, uma sabedoria natural e comum; ela é a mesma em todos os homens dóceis à luz da razão; é ela que os conduz ao reconhecimento da existência de Deus. Todos os pensadores de primeira ordem chegam à esta conclusão: Deus existe. Porém, hoje vivemos no século do ateísmo. Milhões de seres humanos vivem separados da fé universal na existência de Deus: são como “estrelas errantes, para as quais tem sido eternamente reservada a escuridão das trevas” (Judas v.13). Vimos, até aqui, que os três maiores pensadores da filosofia grega (e, podemos dizer de toda a filosofia pagã antes do advento do cristianismo), reconheceram a existência de Deus, apesar de não terem obtido o conhecimento de sua essência, conforme o próprio Deus revelou o Moisés no monte Horebe (Êxodo 3:14). Porém, todos os grandes gênios da humanidade sofreram a influência de uma espécie de iluminação natural acerca da existência de Deus. Através da imensa capacidade de raciocínio de que foram dotados (a chamada razão humana), eles conseguiram obter sólidas provas da existência do criador. Fica evidenciado deste modo que, através do trabalho da mente humana (fazendo-se uso da razão, portanto), o homem pode descobrir pelo menos uma parte da verdade sobre Deus. É o que se chama “conhecimento natural”. Porém, esse conhecimento é incompleto. Foi necessário que Deus se revelasse à humanidade através de sua Palavra para que todos pudessem conhecê-lo. Essa revelação alcançou a sua plenitude no seu Filho Jesus Cristo. Devemos considerar também o fato de que o “conhecimento natural” que o ser humano pode obter de Deus é insuficiente para levá-lo ao reconhecimento da necessidade de ele ser alcançado pela salvação proporcionada por Jesus Cristo. Admitir a existência de Deus não é a mesma coisa que reconhecer a necessidade de salvação. Foi o que faltou a todos os homens que alcançaram um conhecimento natural da exis­tência do Criador, sem terem passado a caminhar, a partir de então, através da fé. É nesse aspecto que podemos constatar a grande diferença entre os filósofos pagãos e os teólogos.

Teólogos falam sobre Deus

Se quiséssemos enumerar todos os teólogos que dedicaram seu tempo e sua vida na busca de um conhecimento maior acerca de Deus, seria necessário escrevermos vários livros. Na verdade, cada teólogo tem sido um filósofo a serviço do pensamento cristão. Imaginemos uma reunião desses homens, onde cada um deles expusesse suas descobertas acerca de Deus. O que ouviríamos? Para reproduzirmos a voz de alguns desses mais antigos teólogos, cujas palavras acerca do Criador foram proferidas dezenas e centenas de anos após a morte do apóstolo Paulo, tomaremos como base alguns dos livros escritos por eles mas, sobretudo a excelente História da Filosofia Cristã, escrita por Philotheus Boehner e Etienne Gilson.

Clemente de Alexandria

O mais antigo desses teólogos é Clemente de Alexandria (150-217 d.C), nascido em Atenas, filho de pais gentios, e convertido ao cristianismo ainda jovem. Ele ensinava que “é impossível qualquer conhecimento sem a fé. Esta é o fundamento da verdade”. Clemente insistia muito com os cristãos de sua época para que eles procurassem, através da busca constante do conhecimento, fortalecer cada vez mais a fé.

“À medida que vamos crescendo na graça, devemos empenhar-nos por obter um conhecimento sempre mais perfeito de Deus”. Sua contribuição a esse conhecimento está resumida nestas palavras: Não sabemos o que Deus é; podemos saber, contudo, o que ele não é. E impossível conhecê-lo por meio de argumentos baseados em princípios inferiores a ele; pois Deus não tem causa, senão que, ao contrário, ele próprio é a razão e a causa de todas as outras coisas. Não foi sem razão que Paulo pregou, em Atenas, o ‘Deus desconhecido’, pois a sua essência permanece incognoscível (não pode ser conhecida) à razão natural.

Orígenes

Filho de Leônidas, que morreu como um dos mártires do Cristianismo, Orígenes nasceu no Egito no ano 185. Foi um dos maiores teólogos da Igreja Primitiva, tão apaixonado pelo estudo e divulgação da teologia, que chegou a castrar-se, num excesso de zelo pela utilização de todo o seu tempo nesses estudos. Para Orígenes era impossível existir vários deuses, pois a harmonia do universo é a grande prova de que só um Arquiteto todo-poderoso poderia criá-la e mantê-la. “E impossível que a unidade e a ordem cósmicas se originem de uma multidão de espíritos, ou dos supostos deuses das esferas”. Ele insistia também em mostrar que “Deus é inacessível a todo entendimento humano”, havendo, porém, um meio de o homem natural obter provas de sua existência: através da observação do universo e das criaturas. Eis como, resumidamente, Orígenes conceitua Deus: Deus é Espírito, mas está ainda mais além do espírito; é o Pai da Verdade, mas é mais que a verdade, e maior do que ela; é o Pai da sabedoria, mas é melhor que a sabedoria. Deus é Vida, mas é maior que a vida. Deus é ser, mas está além do ser,

Gregório Nazianzeno

Nasceu no ano 330, próximo à cidade de Nazianzo. Assim como Orígenes, Gregório também afirmou que a Criação é a maior testemunha da existência de um Criador. Seu pensamento pode ser resumido nos seguintes termos: “Um simples olhar para a Criação nos convencerá de que não é nela mesma, e sim em algo transcendente que devemos buscar-lhe a razão de ser”. Quem é o autor desta ordem determinada e concreta que reina nos corpos celestes e terrestres, bem como em todos os seres que povoam os ares e as águas? O acaso? Não. E Deus!

Agostinho e sua grandiosa busca de Deus

Enfoquemos agora o pensamento do grande teólogo da Igreja Primitiva. Aurélio Agostinho nasceu em Tagaste, na Numídia, país da África, em 354. Foi um dos maiores gênios da teologia e filosofia cristãs de todos os tempos. Sua herança literária compõe-se de 1.030 obras, entre tratados, sermões e cartas. O conceito fundamental da existência de Deus pareceu a Agostinho tão fácil e evidente que o ateísmo deveria ser considerado loucura de poucas pessoas, devido mais à corrupção do coração do que a uma verdadeira convicção do espírito. Logo após sua conversão ao cristianismo, Agostinho declarou que estava decidido a pesquisar com todo o empenho os mistérios de Deus: “Estou decidido a possuir a Verdade não só pela fé, senão também pela inteligência.” Lendo e meditando profundamente as Escrituras Sagradas, Agostinho teceu riquíssimos comentários sobre as dificuldades que o espírito humano encontra em sua marcha até Deus.

Comentou o grande teólogo que em nosso estado presente, nossos olhos físicos não estão organizados para contemplar o sol visível, porém só para olhar o mundo sob a luz desse sol. Os olhos não suportarão olhar a fonte da luz e sim os objetos iluminados pelos raios dessa fonte. Este fato está cheio de uma profunda significação. Ocorre o mesmo com a nossa alma. No estado natural do homem, nesse estado em que nascemos nossa alma não é capaz de ver a Deus tal qual ele é pessoalmente, mas é capaz de contemplar a luz que ele lança sobre a alma e sobre o Universo. Para ver a Deus é necessário, portanto, uma mudança de natureza. Baseando seus argumentos no capítulo três do Evangelho de João, Agostinho mostra que esse nascer de novo — condição indispensável para se ver a Deus - o homem não pode dar-se a si mesmo; só Deus que o criou. “Como conhecer a Deus?” - pergunta Agostinho. “Qual é o itinerário da razão desde a cegueira e a ignorância em que nascemos, até a visão de Deus? Embora caído, o ser humano não está definitivamente separado da fonte eterna. Deus abriu-lhe uma porta de regresso a ele mesmo: Jesus Cristo. Todos, consciente ou inconscientemente, buscam esse reencontro com Deus.”

No seu livro Confissões, Agostinho relata sua própria experiência, quando ele ardentemente buscava ter um encontro com o seu Criador: “Será possível, Senhor meu Deus, que se oculte em mim alguma coisa que vos possa conter?”, - perguntava ele, tateando nas trevas. Para Agostinho, o mundo visível era um degrau, um ponto de apoio que o ajudava a elevar-se mais: Subirei mais alto ainda que essa força existente em mim, e a tomarei como um degrau para subir Àquele que me criou. Vejamos até onde pode ir a razão elevando-se do visível ao invisível, do passageiro ao eterno. Não contemplarei em vão toda essa beleza do céu, o curso regular dos astros… Não os contemplarei para excitar uma inútil curiosidade, senão que me servirei deles como de degraus para elevar-me ao Imortal, ao Imutável.

Para Agostinho, as maravilhas na terra e nos céus realmente testemunhavam a glória e a existência de Deus, e eram como uma escada que o fazia subir ao reconhecimento da existência do Criador.As palavras com que esse grande pesquisador dos mistérios de Deus registrou o esforço de sua busca são dignas de ser reproduzidas aqui: Quando eu busco a meu Deus, não busco forma de corpo, nem formosura transitória, nem brancura de luz, nem melodia de canto, nem perfume de flores, nem ungüentos aromáticos, nem mel, nem maná deleitável ao paladar, nem outra coisa que possa ser tocada ou abraçada; nada disso busco, quando busco a meu Deus. Porém, acima de tudo isto, quando busco a meu Deus, busco uma luz sobre toda luz, que os olhos não vêem, e uma voz sobre toda voz, que os ouvidos não ouvem, e um perfume sobre todo perfume, que o nariz não sente, e uma doçura sobre toda doçura, que o paladar não conhece, e um abraço sobre todos os abraços, que o tato não alcança, porque esta luz resplandece onde não há lugar, e esta voz soa onde o ar não a leva, e este perfume é sentido onde o vento não derrama, e este sabor deleita onde não há paladar, e este abraço é recebido onde nunca será desfeito.

Anselmo: É impossível pensarmos em alguém maior que Deus

Anselmo de Cantuária (1033-1109) é, depois de Agostinho, o teólogo que mais conseguiu acrescentar algo de considerável ao conhecimento que os demais teólogos, através de suas meditações, tinham conseguido sobre Deus. Anselmo era italiano. Como teólogo e filósofo cristão, ele tornou-se famoso ao escrever dois livros: o Monológio e o Proslógio, onde tenta demonstrar a existência de Deus sem recorrer à autoridade das Sagradas Escrituras, com o intuito de provar que existem também evidências extra-bíblicas da existência do Criador. E no Proslógio que Anselmo chega à seguinte conclusão: Tenho dentro de mim a idéia de um Ser tal que não se pode imaginar nada maior, isto é, um Ser infinito; logo, esse Ser existe, pois eu o vejo em certo sentido, desde o momento em que penso nele. O que está na realidade, além de estar no pensamento, é mais perfeito que o que só está no pensamento: portanto, Deus é real, porque se não existisse, não seria tal que não se pode pensar em outro maior.

Esta famosa prova da existência de Deus passou a ser conhecida como argumento ontológico.

Tomás de Aquino: A fé e a Razão – Dois caminhos para Deus

Neste admirável concerto de vozes ilustres que nos ensinam que é possível obterem-se provas da existência de Deus através da razão, destaca-se Tomás de Aquino. O que disse sobre a existência de Deus esse teólogo italiano, nascido em 1225, é digno de ser conhecido por todos nós, apologistas do cristianismo. Aquino afirmou que os meios de se conhecer a Deus são dados aos seres humanos em todos os lugares e sempre, em nós e fora de nós. Em nós, o próprio Deus nos ilumina através da fé; fora de nós, ele nos ilumina também, dando-nos um livro que é sua obra, o mundo. Por que os homens não lêem esse livro? Seus pecados os impedem; este é o obstáculo real, diz Aquino. O homem é um ser pensante; através de sua capacidade de raciocinar (que nos distingue dos animais irracionais), através da simples observação da natureza, ele se depara com provas da existência de Deus. Portanto, tanto a fé como a razão conduz o homem ao reconhecimento da existência do Criador.

Porém, “os olhos da alma, enfermos pelo pecado, não podem fixar essa Luz sublime se não forem purificados pela justiça da fé”. Usando a luz como ilustração para exemplificar como a razão e a fé conduz o ser humano ao conhecimento da existência de Deus, Aquino diz que durante nossa viagem terrestre, a luz do sol brilha sobre nós de duas maneiras: Algumas vezes, como uma débil claridade: é a luz da nossa inteligência natural; é uma partícula da luz eterna, porém distanciada, defeituosa, comparável a uma sombra com um pouco de luz. Outras vezes a luz brilha em um grau mais alto, com uma claridade mais abundante, e nos põe como que em presença do próprio sol. Nessa ocasião nosso olhar estará deslumbrado, porque contempla o que está acima de nós, acima dos sentidos humanos - essa é a luz da fé.

Comentando 1 Coríntios 13:12: “Porque agora vemos em espelho, obscuramente, então veremos face a face; agora conheço em parte, então conhecerei como sou conhecido”, Aquino diz que para o homem natural, a criação inteira é um espelho. “A ordem, a beleza, a grandeza que Deus espalhou sobre suas obras nos fazem conhecer sua sabedoria, sua verdade e sua divina infinitude. Esse é o conhecimento que se tem chamado visão em um espelho.” O que é, portanto, a visão face a face? Aquino responde: Quando vemos em um espelho, não vemos a própria coisa, senão sua imagem. Mas quando vemos face a face, vemos a própria coisa tal como ela é. Quando o apóstolo diz que na Pátria veremos a Deus face a face, quer dizer que veremos a essência de Deus. Do mesmo modo como Deus conhece a minha essência, conhecerei também a Deus em sua essência. Poderíamos citar aqui a frase de Platão a respeito da semelhança de conclusões a que chegaram os maiores filósofos sobre Deus: “Todos eles têm a mesma linguagem”. O mesmo ocorre com os teólogos antigos e modernos: eles depositaram suas vidas e inteligências aos pés daquele a quem deviam tudo - Deus. Veremos, a seguir, que não só filósofos e teólogos fazem parte desse coral de vozes ilustres que proclamam a existência de Deus: os cientistas também deixaram os seus testemunhos.

Nihil est quod Deus efficiere non possit